Sai nos dias de maior fluxo

quarta-feira, dezembro 31, 2003

Frodo Gay Baggins

Digam o que disserem da trilogia d'O Senhor dos Anéis, ninguém me tira da cabeça que aquela relação Frodo-Sam é mais do que de amizade!
Quem leu os livros mais facilmente compreenderá. O segundo e o terceiro livros pululam de carícias mútuas e trocas de promessas de amizade, que Peter Jackson bem tentou aliviar no filme.
Acredito que, se o Gollum não tivesse participado na jornada, aquilo tinha dado rambóia. Tinha sido só cantar o Apitó Combóio!

Quando é o momento?

Quando é o momento em que os pais deixam de se preocupar com o que os filhos façam? Costumava ser a partir dos 18 anos, pelo menos por vontade dos filhos. Hoje em dia as pessoas têm filhos, mas não têm paciência! Por volta dos 6 anos de idade, a criança é considerada emancipada e livre de fazer quase o que bem entender. Simplesmente porque os pais deixaram de se preocupar.

Assisto a crianças de 7 anos aos socos ao pão do supermercado, ao lado da mãe completamente sem reacção; pais que levam os seus filhos de 7 anos ao Regresso do Rei (um filme nada violento), que conversam sozinhos e em voz alta durante o filme todo; crianças que aplicam os golpes recém-aprendidos nos desenhos animados poke-digi-ou-qualquer-outra-coisa-mon no seu animal de companhia ou no próprio progenitor.

Diz-se que os pais passam cada vez menos tempo com os seus filhos, o que eu observo e acreditem que nestes últimos tempos tenho prestado mais atenção a esse pormenor, é que o pouco tempo que passam com eles... não lhes ligam. Não se escusando, no entanto, a gastar mais de €130, em média, em prendas de Natal...

Não digo que não se preocupem com o seu bem-estar e que não os amem, mas já não se preocupam com a sua educação.

segunda-feira, dezembro 29, 2003

Quem conseguiu ser milionário

Depois de ter visto a última sessão de Quem quer ser milionário na qual foi ganho o prémio máximo, só me veio uma coisa á cabeça... Quiz show.

Herman José conta com um novo "advogado" de peso

Herman José arranjou um peso pesado para o defender das acusações de que é alvo, no processo Casa Pia. Segundo o ministério público, o crime de "actos homossexuais com um adolescente" terá ocorrido no dia 8 de Fevereiro de 2002. Ora a nova firma de advogados de Herman José, nada mais nada menos do que o Jornal da Noite da SIC, veio afirmar que o acusado, nessa data, se encontraria no Brasil a gravar um conjunto de peças sobre o Carnaval no Rio de Janeiro.

Aqui temos, a televisão portuguesa, no meio do seu "imparcial" serviço noticioso, a defender os seus interesses financeiros, ainda que isso signifique a defesa de um indivíduo que é acusado de abusar de adolescentes. Será que os responsáveis por esta empresa procederiam da mesma forma se o adolescente em causa fosse da sua família?

Bibi ganha o Jackpot de Natal da justiça portuguesa

Carlos Silvino - Bibi - é acusado, pelo ministério público, de mais de 1100 crimes relacionados com o processo Casa Pia. O Período apurou que, por ter atingido um novo recorde dentro de crimes do género, Carlos Silvino receberá um perdão total da sua pena, €250.000 do Quem Quer Ser Milionário e a entrada directa para o Big Brother 5, com passagem pelo Herman SIC.

Orgulhosamente sós

Abandonámos oficialmente a máxima da ditadura de Salazar mas, na verdade, o nosso comportamento tarda em mudar. Em 1986 entrámos para a União Europeia mas, ao que parece, só a ela recorremos na altura de ir buscar subsídios para comprar viaturas de todo-o-terreno.

A verdade, meus caros leitores, é que quando chega a altura de beneficiarmos da experiência dos ditos países mais desenvolvidos, fazemos orelhas moucas e prosseguimos como bem entendemos. Um exemplo deste comportamento autista é a auto-estrada do Algarve. Para não seguirmos as regras ambientais impostas pela União Europeia, perdemos o financiamento europeu. Para poder seguir um determinado traçado que iria prejudicar o ecossistema envolvente, o governo português gastou, desnecessariamente, dinheiro dos contribuintes.

O caso mais recente e escandaloso é o da penalização da interrupção voluntária da gravidez. Portugal e Irlanda são os únicos dois países da União Europeia cuja legislação penaliza as mulheres por prática de aborto. Mais uma vez recusamo-nos a ouvir as recomendações da União Europeia, à qual pertencemos, que vão no sentido da alteração desta lei, abolindo a penalização destas mesmas mulheres.

Para além de subdesenvolvidos, recusamo-nos a ouvir quem mais experiência tem no assunto. Por vontade da ala que defende a continuação desta lei, teríamos touros de morte e, logo depois, autos-de-fé das mulheres que abortaram como after-party.

Já dizia o outro - Dêem-lhes pão e circo...

Realidade ou ficção? (II)




Escorrido por Loretta e Oliveira e Casca.

Passado o Natal...

... as baterias estão apontadas para a Passagem de Ano. Já comprei o Champomy e os cigarros! Á meia-noite tenciono estar suficientemente bêbado com Champomy para conseguir dar as doze passas de seguida!

Alguém viu o Pai Natal???

É que esse filho da puta não passou por Braga! Se calhar só lá vai amanhã para a inauguração do estádio do Mesquita Machado (e não do Braga!!). Aguardemos!

domingo, dezembro 28, 2003

E se a terra treme?

Não se têm, leitores de Lisboa e Vale do Tejo e do Algarve, sentido mais... seguros, nos dias que correm?
Sempre que ocorre um sismo de grande magnitude, o suficiente para merecer destaque nos telejornais, os nossos sismólogos lá vêm lembrando - Olhem que isto também pode acontecer em Lisboa e no Algarve!
Olhamos para as imagens de destruição, antes durante ou após o jantar e, depois de ouvir estes senhores a dizer que, ocorrendo no Verão, o cenário seria catastrófico no Algarve, sentimo-nos muito melhor. Se pensarmos que Lisboa já cai aos bocados sem tremores de terra, o que um sismozito não fará?...

Pig Showzito nos Serviços Prisionais

Estava a ver agora o comentário do José Pacheco Pereira, na SIC, quando chega a altura da rubrica que aponta o pior momento de televisão da semana. O momento apresentado é protagonizado pelo João Baião, em mais um dos programas de Natal num estabelecimento prisional. O apresentador chama três reclusos ao palco, duas mulheres e um homem (tendo este sido quase forçado a para lá subir, tendo por várias ocasiões demonstrado o seu desconforto), anunciando em directo que iriam ser libertados, da mesma forma que anunciaria o ganho de um cabaz de Natal.

A liberdade de um homem ou mulher é um momento privado que não pode ser vendido em hasta pública, à televisão que mais quiser pagar pelos direitos de transmissão. Onde está o direito do cidadão, preso ou livre, à sua dignidade? Até onde deixaremos ir as televisões por um momento de audiências altas?

Confesso que não partilho as inclinações políticas de Pacheco Pereira, mas teve um momento digno ao não se coibir de deitar abaixo a própria televisão que o convidou para comentador.

Lua cheia provoca mais acidentes

Um estudo publicado no Reino Unido veio comprovar que a lua cheia tem influência nos condutores, sendo responsável por um incremento de 14% no número de acidentes de viação.
Segundo teorias orientais, a energia que advém da lua cheia e que é capaz de influenciar as marés, tem influência no estado de espírito das pessoas, tornando-as mais agressivas e impacientes. Estes estudiosos aconselham ainda as pessoas, nesta altura, a beber muitos líquidos não alcoólicos, comer saladas e comida com pouco sal.

O Período encomendou um estudo que apurou, de facto, a verdadeira razão deste incremento de acidentes. Com a lua cheia, muitos dos condutores masculinos iniciam a sua transformação para Lobisomens, o que provoca distracções entre os próprios transformados e nos condutores e condutoras do lado. Deixamos aqui já um aviso a todos os nossos leitores para que não se surpreendam com estas modificações temporárias. No que diz respeito aos próprios transformados, encostem o carro e procurem assinalar convenientemente a paragem de emergência.

Casanova canino

Devido ao excesso de famelga presente na residência dos meus pais, tenho dormido na sala. Como já não bastasse o sofá ser uma merda para dormir, a sala ser fria e a minha avó acordar às 8 da manhã e começar desde logo a fazer uma chinfrineira infernal na cozinha, tenho também de servir, durante toda a noite, de porteiro para as investidas românticas do casanova canídeo cá da casa. O meu cão, que tem a bonita idade de 14 anos, quanto mais velho fica, mais tarado está. No inicio ainda pensei, coitadito está velhote já não aguenta muito tempo sem ir fazer uma mijinha. Então, sempre que ele pedia para ir à rua de noite, eu acompanhava-o, pois não queria deixá-lo sozinho e abandonado na escuridão da noite. Ele fazia umas mijitas e sempre que me preparava para regressar a casa, o safado conseguia escapulir-se. Aparecendo meia hora mais tarde a ladrar à porta de casa, para eu o deixar entrar. Como resultado desisti de lhe fazer companhia e comecei a deixá-lo ir sozinho.
Hoje de manhã uma senhora que vive aqui no bairro, queixou-se à minha mãe que anda um cão a rondar e a mijar a sua casa durante a noite. Diz ela que o ladrar dele é muito parecido com o do meu cão, mas que esse, pobrezinho, está muito velhote e que nem durante o dia o vê, por isso de certeza que não se trata dele. Como é mais que óbvio é mesmo ele. O cabrão é que refinou, uma vez mais, a sua técnica de engate e agora tornou-se noctívago. Só ontem acordou-me novamente por cinco ou seis vezes. Os que pensam que seria fácil ignorá-lo e deixá-lo fechado dentro de casa, não conhecem a sua persistência. Em vez de acordar algumas vezes, passava era a noite toda em branco, com a choradeira e guinchinhos do velho jarreta.
Neste preciso momento, o engatatão encontra-se a dormir profundamente, decerto a preparar-se para mais uma noite em grande. Mas infelizmente hoje vai-se tramar, pois o seu porteiro de serviço está de abalada, vou-me embora hoje, e duvido que mais alguém aqui em casa caia na sua esparrela.
Escusam de ficar com pena dele, é só uma questão de tempo até arranjar uma nova estratégia.

sábado, dezembro 27, 2003

ONG brasileiras Vs Igreja católica

Organizações não governamentais (ONG) do maior país católico do mundo, o Brasil, tiveram a coragem de, finalmente, colocar o dedo na ferida. Com a campanha de prevenção da SIDA "Pecado é não usar" (uma referência à necessidade de uso do preservativo), estas ONG declaram guerra aberta, culpabilizando directamente a Igreja por muitas mortes no mundo, ao declarar pecado o uso do preservativo.

Referindo-se ao atraso nos pedidos de desculpa da Igreja Católica pela Inquisição e pela sua conivência no Holocausto, a campanha, entre outras coisas pergunta: "Quanto tempo a Igreja vai levar para pedir perdão às vítimas da Aids?"

Responsáveis da Igreja Católica, na sua infinita sabedoria, retaliaram tentando desacreditar o preservativo como forma de prevenção. Sim senhor, assim é que é!

Brasil, com esta tens, neste pobre redactor, um fã! Há já muito tempo que considerava criminosa a atitude da Igreja, ao boicotar activamente a prevenção de uma das maiores calamidades dos nossos tempos, com essa mentalidade tacanha e retrógrada que a caracteriza.

Meninos que queriam ser meninas

Como todos sabemos, o Presidente da República, Jorge Sampaio, concedeu um indulto a uma enfermeira da Maia, condenada a 7 anos e meio de prisão, por auxiliar mulheres na interrupção voluntária da sua gravidez. Uma atitude louvável, na minha humilde opinião e de tantas outras pessoas que consideram que ninguém tem o direito de decidir por uma mulher. Este indulto resultou na redução em metade da pena da enfermeira.

Mas os jovens amiguinhos e amiguinhas do Paulinho das Feiras, todos eles com capacidade de ir ou levar as suas mulheres a clínicas de luxo, fora do país, opõem-se. Considerando o indulto do Presidente da República de "inoportuno".

O Período apurou que os protestantes da Juventude Popular são alguns dos meninos que passaram pelas garras de Catherine Deneuve e que, por não terem podido engravidar do seu ídolo, se revoltaram contra as mulheres que o podem fazer mas não desejam essa gravidez.

Septuagenário esfaqueia filha e neta!

Estava eu a folhear O Ribatejo (fantástico jornal regional que, semanalmente e por razões fraternais, recebo na minha caixa de correio) como leitura de casa de banho, quando me deparo com este título. Passando os olhos pela notícia, nada de anormal: um velhote de setenta e tal anos esfaqueia (o termo aqui é exagerado, uma vez que ambas as atingidas tiveram alta no próprio dia, mas serve para chamar a atenção) a filha e a neta numa paragem de autocarro, após uma breve discussão. O que me surpreendeu na notícia foi o facto do suspeito, após identificado, ter sido liberto pela polícia, dado que a sua detenção dependeria de uma queixa apresentada pelas vítimas.

E se tivessem morrido? Não havia queixas. Ou será que tentativa de homicídio não é considerada crime público, não podendo assim ser denunciada por terceiros?

Portanto, meus caros, se vocês esfaquearem alguém, certifiquem-se que convencem a pessoa que de facto não lhe queriam fazer mesmo mal, que foi um acidente, talvez não sejam presos e daí nasça uma bonita amizade...

Grandes feitos da humanidade

Começo hoje uma rubrica dedicada aos grandes feitos da humanidade que, a par da minha outra rubrica dedicada ao cinema (quem não se lembra do meu brilhante e único post desse tema, comentando 8 Mile, com Eminem) vos trará, regularmente, alguns dos grandes feitos do Homem.

Pois hoje começarei com aquele que mais recentemente mudou a minha vida. Não, não se trata da Lampreia de Ovos, nem do Toucinho do Céu, mas sim do Home Theatre!
Ahhh! Que maravilha! Uma televisão com um ecrã generoso e um sistema Pioneer... e podem esquecer o barulho das pipocas, dos telemóveis e das conversas no cinema!

Naturalmente que, gostando demasiado de cinema, não conseguirei abandonar as salas. Ainda para mais porque as daqui do Sul são muito boas.

Vou-me embora, vou partir, mas tenho esperança...

Quero aqui despedir-me dos meus colegas redactores e dedicados leitores deste colosso da informação, visto que fui destacado para uma missão especial a Amsterdão e a Dublin. Advirto desde já para a possibilidade de não regressar à Pátria Mãe, uma vez que sempre foi meu desejo dedicar-me ao negócio da restauração, e vejo aqui a possibilidade de montar, quiçá um bar de quengas em Amsterdão ou um pub reles que venda Sagres prós lados da Irlanda.
Espero que nunca me esqueçam porque eu nunca os esquecerei.

quinta-feira, dezembro 25, 2003

Feliz Natal

Agora que tenho o estômago às voltas do jantar e do cocktail de doces que se lhe seguiu; que tenho uma pilha de prendas no quarto (não que sejam muitas, mas estão empilhadas); senti o ímpeto de vos vir desejar um Feliz Natal a todos.

quarta-feira, dezembro 24, 2003

Momento alto

Aguardo com particular ansiedade o momento alto do meu Natal. Já sei que essas mentes ligeiras a tecer juízos de valor pensaram, de imediato, que me referia à altura da abertura dos presentes. Pois enganam-se. Desde os meus 12 anos de idade que abrir caixas com boxers, canetas, after-shaves e meias não me compensa emocionalmente. Embora os envelopes (os que têm dinheiro, não os com cartões) me tragam alguma compensação financeira.
O momento que anseio é sim o jantar de véspera do dia de Natal. O jantar em si é sempre completamente imprevisível, mas existem alguns episódios que se repetem todos os anos. Eis os que aguardo com especial expectativa:

O meu avô, com seu particular jeito doutoral, a discursar sobre os males que assolam o país; o meu tio-avô a concordar com tudo que o meu avô diz, ao mesmo tempo que sorve a sopa e faz barulhos irritantes com a placa dos dentes; o meu pai a discordar com tudo que o meu avó diz e a animar as hostes com as mesmas piadas repetidas até à exaustão; a minha mãe stressada para que não existam "conflitos" familiares nesta altura de paz e serenidade; a minha avó a dar-me uma garrafa de água, quando lhe tinha pedido pão; a minha irmã a arranjar mil e uma maneiras de implicar comigo (ok, esta está ligeiramente destorcida); o meu cão a peidar-se enquanto ressona; a minha tia-avó a perguntar-me pela milionésima vez porque não tempero a salada; a minha avó a dar-me um garfo quando lhe tinha pedido água; a meu tio a elogiar a pessoa que cozinhou os camarões, ele próprio portanto; a minha tia aos berros e a dar-me cacetadas na cabeça sempre que abro a boca; o meu primo puto com a cabeça enfiada dentro do prato a emitir sons anasalados, desconfio que é uma tentativa de rude de comunicação; a minha avó a dar-me uma rabanada quando lhe tinha pedido um sonho (ou vice-versa).

São estas pequenas grandes coisas que fazem que o jantar de véspera do dia Natal seja o meu momento preferido de toda esta época festiva. Agora que penso nisso o alarvanço de rabanadas durante todo o dia de Natal também não é mau.

Ah! Quase que me esquecia, Feuiz Natau (como diria o Fernando Seara) para todos!!!

terça-feira, dezembro 23, 2003

Realidade ou ficção?

Nunca certos aspectos da vida real, e actual, se pareceram tanto com um filme de Hollywood.





Escorrido por Loretta e Oliveira e Casca.

segunda-feira, dezembro 22, 2003

(In)tolerância

"PCP e Bloco de Esquerda condenam 'atitude manhosa' do ministro da Defesa"
E eu a pensar que os partidos de esquerda deviam ser os primeiros a dar o exemplo e mostrar alguma tolerância pelas atitudes e opções sexuais das pessoas.

Ah pois é!

"Pedro Namora vai ser uma das testemunhas de Manuela Moura Guedes no processo, por difamação, que a jornalista da TVI vai interpor contra Raquel Cruz. Em causa está o facto de a mulher de Carlos Cruz ter sustentado, numa das crónicas que assina num jornal diário, que, em 1979, Moura Guedes e o apresentador tiveram um relacionamento íntimo." in Correio da Manhã.

Segundo O Período apurou, a estratégia do advogado de Manuela Moura Guedes passa quase toda pelo testemunho de Pedro Namora. Pedro Namora vai testemunhar em tribunal que, nessa precisa noite em 1979, Carlos Cruz nunca poderia ter tido um relacionamento íntimo com Manuela Moura Guedes, uma vez que esteve toda a noite, e mais umas horitas do dia seguinte, a penetrá-lo a ele e ao seu ex-amigo casa piano Adelino Granja.
Mas existe alguma coisa que não bate certo em toda esta história, pois em 1979 Pedro Namora e o seu ex-comparsa já tinham mais de vinte anos. Logo parece-me pouco plausível que Carlos Cruz andasse a experimentar rabiosques tão idosos e flácidos.

Quando a autoridade dá o exemplo

Em mais um acidente deste fim-de-semana (onde de resto já morreram 17 pessoas nas estradas de Portugal), um veículo descontrolou-se, numa rotunda de acesso à Via do Infante, em Portimão. O condutor não sobreviveu aos ferimentos. Até aqui, infelizmente, seria apenas mais uma das muitas notícias a que já nos habituámos a ver nos telejornais.

Mas, neste caso, o responsável e única vítima do acidente, era um comandante da PSP do Algarve, sendo que a causa provável do acidente seria excesso de velocidade. Que maravilhoso exemplo dado aos assassinos que pululam nas nossas estradas! Nem a polícia dá o exemplo, como poderemos esperar que os mentecaptos dos condutores mudem a sua atitude?

Personalidade do ano

A revista Time elegeu como personalidade do ano a figura do valoroso soldado americano. Na base desta escolha, dos responsáveis da Time, estiveram as inúmeras acções, recheadas de nobreza, realizadas pelos bravos soldados americanos, aquando da sua luta pela libertação do povo iraquiano e da busca incessante das armas de destruição maciça.
Fica aqui este pequeno vídeo, em jeito de homenagem ao soldado sem nome americano. Atentem na forma como o malvado do terrorista é abatido.
God bless America!

P.S.: Já que o soldado, coitadito, não tem nome, podíamos dar-lhe uns quantos adjectivos para compensar.

O natal e o almoço

Sexta-feira foi o almoço de Natal da "empresa". Em hora e meia fiquei a saber que afinal os nosso chefes não só se alimentam como se alimentam mal, falam de boca cheia, cospem-se, babam-se, riem-se com lascas de bacalhau no meio dos dentes, tossem para o prato, deixam nacos de comida nas bordas do copo de vinho, limpam-se á toalha de mesa e usam a casa de banho suponho que para mijar e cagar! Foi a minha prenda de natal saber que de facto Professores Doutores e uma Catedrática são afinal humanos e do mais rasca, tipo eu. Esta vida de "moço de recados" só me dá ignorância, é o que é!

Novas do PP

Mais uma notícia bombástica sobre o nosso ministro da defesa.
Agora resta saber se PP quando jovem era burro e não percebia que aquela moçoilas mais libertinas traziam brinde, ou então não era assim tão burro e era o brinde aquilo que ele procurava.

Ahhhh... O povo, o povo...

Uma vez uma pessoa amiga disse-me - I love mankind, it's people that I can't stand!!!
Tão bem que isso traduz a minha posição em relação às pessoas, em geral. O Homem é capaz de feitos grandiosos, mas certas pessoas são capazes de atingir níveis de estupidez do mais atroz possível. E, meus caros, não se trata de diferença de classes ou níveis de instrução, conheço estudantes de doutoramento burros como portas e marceneiros com muito para me ensinar.

Mas, de facto, é quando nos deslocamos a um centro de massas (não confundir com comida), como o Colombo no último Domingo antes do Natal, que rapidamente nos apercebemos que a estupidez a e má educação pululam na população portuguesa. Desde os encontrões que recebemos com a despreocupação descarada do agressor, à estúpida intolerância para com os profissionais que têm o azar de atender estes exemplares do nosso Portugal e que, nestes momentos, se sentem na posição de quem tem um pequeno poder, vingando-se da vida no desgraçado que os atendeu.

Olhando para o lado podemos ver a ausência de planeamento familiar em acção, com a respectiva bofetada a corrigir a prole, que não fez mais do que evidenciar o desespero de ter sido arrastada para tal ambiente. Ainda a mãe, com as suas calças a imitar pele de leopardo (como se o pobre animal alguma vez se pudesse parecer àquilo) e perfume adocicado, que diz - não aborreças o teu pai - este último de fato de treino, penteado oleoso para trás ou para o lado e um qualquer after-shave intragável! Entrem no Colombo, meus caros, e respirem no ar a falta de higiene pessoal!

Tudo o que seja uma situação de massas, me cansa imediatamente! Confesso-me impotente para lidar com espaços sobre-populados e, de facto, não há nada que odeie mais numa pessoa do que a estupidez e a má educação em todo o seu esplendor!

domingo, dezembro 21, 2003

Geração Power Rangers

De facto surge sempre um erudito, neste caso eu próprio, pronto a catalogar toda uma geração. Quem não se lembra que a nossa geração (aqui naturalmente surgirão opiniões contrárias sobre quem se inclui, ou não, na faixa etária abrangida por esta denominação) foi apelidada de Geração Rasca, por um ilustre do PS (actual deputado da bancada Socialista) - Vicente Jorge Silva? Estávamos então no período negro dos governos de Cavaco Silva.

Pois, meus caros leitores, foi ao me encontrar a tomar conta do meu adorado sobrinho, de 3 anos e uns meses e que se encontrava febril, que cheguei a esta conclusão. Ora a certo ponto desse dia, ainda sob o efeito de um Ben-u-Ron que lhe permitia manter uma frenética actividade, característica deste pequeno querubim, o meu sobrinho volta-se para mim e propõe: Vamos brincar aos presépios tio Brave Sir Robin? (é verdade, ele trata-me assim) Comecei a ver a minha vida a andar para trás, imaginando se iríamos simular o nascimento do menino, a chegada dos três reis magos, enfim, toda uma panóplia de acontecimentos que a Bíblia retrata. Eis que e para minha grande surpresa, ele me diz, depois de me apresentar toda a família - Tu ficas com a vaca e eu com o burro (naturalmente que quem escolhe o jogo fica com os melhores elementos) - começando de seguida uma luta mortal com grandes voos marciais, em que o burro (uma peça de metal do tamanho de uma unha) rapidamente começou a massacrar a vaca (uma peça do mesmo tamanho). Já está! - pensei eu - O Natal foi tomado pelos Power Rangers, versão Transformers Eclesiásticos!

Naturalmente que o meu contacto com o mundo da ciência não me permite catalogar toda uma geração baseando-me apenas num caso, conto-vos mais um em que, em plena rua, surpreendi um júnior de 8 anos a praticar os seus movimentos Power Rangers, em frente a uma vitrina espelhada de uma loja! Muitos outros exemplos os próprios leitores terão para dar.

É de referir que quando o efeito do analgésico e anti-pirético, já referido anteriormente, passou, o meu sobrinho só abria os olhos para dizer - Quero ver os Power Rangers - e só fechava os olhos quando me ouvia dizer - Não está a dar - ao que respondia - então amanhã, está bem?

sexta-feira, dezembro 19, 2003

Finalmente !!!!!

Finalmente licenciado!!!!!! Parabéns para mim, parabéns para mim, parabéns para mim, parabéns para mim!
Estou ansioso por descobrir as possibilidades de associação entre a biologia e a indústria x-rated. A fortuna está finalmente ao meu alcance!!

Ainda o Público

Ao ver o nome de um dos intervenientes na secção de Vox populi do Público, Abraão Esagay, recordei-me do nome de um dos autores de um artigo científico que circulava aqui pelo trabalho, Chit Shu. Realmente é um facto que existem nomes infelizes. Mas por falar nisso, o que será feito do nosso ex-docente Luis Oscar Alho?

O Público errou

Estava eu, na casa de banho, a pôr a leitura em dia munido com a edição de ontem do Público, quando descobri que o Público, na sua edição de quarta-feira, tinha cometido um erro crasso. Ora reparem, na errata publicada ontem:
"na frase onde se lia '(...) diziam-lhes, por exemplo, que levassem papel higiénico quando fossem à casa de banho!' deveria ler-se '(...) diziam-lhes, por exemplo, que não levassem burros quando fossem à casa de banho!'"
Por acaso tinha lido o artigo em questão e recordo-me que, na altura, quando cheguei à parte onde se lia papel higiénico, exclamei para comigo mesmo "Mas que raio, papel higiénico? Que estranho!". Mas, agora com o erro corrigido, a frase tem, de facto, muito mais lógica.
Mas este assunto levanta outra questão que é, penso eu, bastante pertinente. Será que se formos acompanhados de um rolo de papel higiénico para a casa de banho, não podemos levar também burros? Serão mutuamente exclusivos? Porra, tenho de pensar melhor nesta problemática...

Quem diria

Estava a ler no DN o resumo do debate mensal dos deputados com o primeiro-ministro na assembleia da república, quando me deparo com esta revelação: "perante a posição do primeiro-ministro - que contou sempre com um Paulo Portas muito activo a seu lado". E julgava eu que o nosso ministro da defesa dava ares de ser o passivo da relação. Pá, quem diria, quem diria...

quinta-feira, dezembro 18, 2003

Quando a balança pende demasiado para um só lado

Assistir a um debate da Assembleia da República, ainda que na televisão, é um misto de emoções, que só quem passou por isso pode compreender. Interesse, desinteresse, vontade de rir, vontade de chorar, vontade de bater, vontade de bocejar, vontade (e eventual acto) de mudar de canal; há de tudo um pouco no nosso espírito, durante uma só sessão.

No entanto, hoje, dei comigo a prestar atenção a uma característica desta arena de emoções: a imparcialidade daquele que devia ser o árbitro da Assembleia - o nosso orgulhoso e efeminado açoriano Mota Amaral.

Cada vez que um deputado, que não pertença à coligação da maioria, pretende falar, tem que passar primeiro pelo crivo burocrático do Presidente da Assembleia. Este constitui uma primeira defesa para o, neste caso, interpelado Primeiro Ministro, colocando todo o tipo de obstáculos ao uso da palavra de quem não esteja do lado do governo.

Temos então um Presidente da Assembleia da República, o número dois na hierarquia da República Portuguesa, transformado no sabujo do governo da coligação.

Ai se eu mandasse...

"(...) aquilo que eu digo é aquilo que mostra o que está certo para o país!" - Primeiro Ministro de Portugal (como me custa escrever este título) Durão Barroso, na Feira da Rep... (oops, perdão) Assembleia da República, em resposta a uma pergunta do deputado socialista João Cravinho.

Espírito ditatorial??!!! Nãaaao! Nada disso! É apenas altruísmo e sempre a pensar no bem dos portugueses.
No entanto, pelo sim pelo não, não lhe dêem plenos poderes.

Incongruências

Se bem entendi, as grandes superfícies comerciais foram proibidas de abrir ao Domingo, depois das 13:00, para proteger o Comércio Tradicional, tal como é conhecido. Isto porque estes mesmos comerciantes se recusam a abrir a loja aos fins-de-semana, altura em que as pessoas têm, de facto, tempo para fazer compras. Que se lixe o cliente que, ao Domingo, nem pequeno comércio nem hipermercados tem à disposição. E alguém me explica porque as médias superfícies (e.g. Modelo e Pingo-Doce) podem estar abertas?

O que eu não percebo é porque raio essa proibição é levantada na época natalícia!!! O pequeno comerciante que se lixe e que abra as portas? Ou será que as grandes superfícies abrem as portas, durante esse período, para que o pequeno comerciante possa fazer as suas próprias compras de Natal?

Mesmo depois desta dissertação continuo sem paciência para fazer compras de Natal!

Constatação

Há poucas coisas, numa mulher, tão pimba como pintar as unhas dos pés.

O regresso aguardado



quarta-feira, dezembro 17, 2003

Saddam troca informações acerca da localização das armas de destruição maciça por perú



Saddam- "Já sabes, o perú pela localização das armas..."
Bush- "Ok Saddam aqui tens. Espero que tenhas alka seltezer que este perú é de difícil digestão hehe."
Saddam- "BLARGH... Mas este perú é horrível. É duro demais e sabe a plástico."
Bush- "Hehe. O que achas que estamos a oferecer aos rotos dos militares portugueses que vieram para o Iraque? Cala-te e come!"

Piada de mau gosto

"Bispos criticam piada sobre menino Jesus" noticia hoje o Correio da Manhã. "Que ele sodomize criancinhas inocentes ainda é como o outro, agora que faça graçolas fáceis com o menino Jesus, é que é completamente inaceitável", declarou um Bispo da diocese de Braga.

terça-feira, dezembro 16, 2003

Encontros na retrete

Outro dia estava na casa de banho do meu local de trabalho já na fase final do meu mijar quando entra o meu superior hierárquico. Numa situação normal eu recolheria o meu sexo para dentro das cuecas, fingia que lavava as mãos e saia do recinto airosamente largando uma pequena bufa. Mas não. O meu superior tinha que começar uma conversa. Que fazer? Eu já tinha acabado a minha mijadela e estava a apanhar frio na picha. Por isso lá tive que a agasalhar e fui lavar as mãos. Só que o gajo não se calava e continuava a debitar litros de urina para o pobre urinol. Lavei as mãos durante 5 minutos, demorei outro tanto a secá-las e o gajo a mijar. Lá tive de me virar para o gajo! Acho que o que ele queria era que eu lhe visse a picha para deixar bem claro quem mandava ali, mas eu foquei um ponto no infinito, imediatamente ao lado da cara dele de modo a que ele ficasse desfocado mas que lhe desse a sensação que estava a olhar para ele. Ao mesmo tempo deslizei lentamente para fora da casa de banho de modo que ás tantas estava no corredor a falar aos berros para dentro da casa de banho. Nada melhor que isto para causar sensação ao chefe. Da próxima mostro-lhe a picha e fica logo a saber quem manda! Ele!

Composição

O Natal

Eu gosto muito do Natal. O Natal é em Dezembro. No Natal faz frio como o caralho. O Menino Jesus nasceu no Natal. O menino Jesus é filho do Pai Natal. Só que quando S. José soube que o menino Jesus não era filho dele deu uma carga de porrada ao Pai Natal e obrigou-o a ir para o caralho. Então o Pai Natal foi para a Lapónia, onde comprou meia dúzia de renas, um trenó, foi buscar uns putos à Casa Pia para fazer brinquedos e montou um negócio com a Coca-Cola. O Pai Natal é bêbado e tem cirrose. Os 3 Reis Magros foram visitar o Menino Jesus e levaram-lhe Bacalhau, Batatas e Couves. É por isso que se come batatas e bacalhau no Natal. O meu pai farta-se de comer couves por isso peida-se a noite toda. O meu pai também é bêbado. Todos os anos na ceia de Natal o meu pai apanha uma tosga de caixão á cova. Depois chama gorda á minha mãe, dá um chuto ao meu cão e ameaça de porrada a minha avó. As minhas tias começam a chorar e o meu pai vai para o café beber bagaço. E como o Pai Natal é bêbado engana-se na merda dos presentes traz-me sempre cuecas e lenços da mão e meias e cachecóis que deixa na casa das minhas tias que o queriam no Natal era um gajo que lhes saltasse para a cona e elas trazem-me para mim porque dizem que o Pai Natal não sabe onde eu moro porque o meu pai é desempregado e o pai Natal não passa pela casa dos desempregados é o que diz o meu pai. Afinal, não sei se gosto muito do Natal.

Aurélinho

Santa is going (near) home

"O governo da Suécia disponibilizou o sistema prisional do país para que Saddam Hussein cumpra a pena de prisão a que eventualmente possa ser condenado num qualquer tribunal internacional", noticia hoje o Correio da Manhã.
Goran Persson, primeiro-ministro sueco, também terá dito o seguinte: "Se aguentámos durante quinze dias A Duck!, aturar o Saddam uma vida inteira parece ser pêra doce."

Matemática do Natal

A minha vontade de ir fazer as restantes compras de Natal é inversamente proporcional ao número de pessoas, que se encontram nas grandes superfícies comerciais.

segunda-feira, dezembro 15, 2003

O mesmo onze, apenas uma única diferença!

Na senda do histerismo asiático em volta do penteado de David Beckham, assistiu-se a uma massificação do novo penteado de Simão. Apenas alguns dias depois do seu novo look ter sido primeira página de um conhecido diário desportivo, o style Simãozeano atingiu as principais personalidades nacionais.
Aqui ficam algumas fotos conseguidas a muito custo por membros d'O Período.









Escorrido por Loretta e Oliveira e Casca.

É domingo..

11 horas da manhã de domingo na residência do primeiro ministro português

Empregado - Senhor Manuel está um senhor ao telefone que se chama Paulo Portas e diz que é urgente!
Durão - O que é que esse panasca quer a uma hora desta! Um gajo já não pode descansar, nem ao Domingo. "Ao telefone" Tou! Tou! Diz lá pá. Não tens vergonha? É domingo.
Paulo Portas - Apanharam o Saddam Durão. Os nossos amigos apanharam-no!
Durão - Quando? Quem é que sabe disso? Somos os primeiros?
Paulo Portas - Acho que metade de portugal já sabe. Como tu não dizias nada eu resolvi indagar se tu já sabias.
Durão - Aquele Bush é um malandro. Gosta muito de brincar ao jogo das escondidas. Nunca me diz nada. A nossa relação de amizade é assim, aberta e sem preconceitos. Quem te dera a ti teres esta relação com o Colin.

As primeiras palavras

As primeiras palavras são um momento marcante da vida de todos nós, especialmente para os nossos pais! E os pais de Saddam, como comuns mortais, esperavam ansiosos o dia em que o seu rebento balbuciasse as primeiras silabas em árabe. Ficou o registo. Segundo as autoridades americanas as primeiras palavras de Saddam foram:
«O meu nome é Saddam Hussein. Sou o presidente do Iraque e quero negociar». Lindo menino!!

Testes de ADN

Os EUA só confirmaram que o indivíduo capturado ontem era de facto Saddam Hussein, após terem sido realizados testes de ADN. Depois de ter ouvido isto, fiquei com uma dúvida, como é que os EUA tinham, em sua posse, amostras de ADN do Saddam, para as poder comparar com as amostras recolhidas ontem? Será que cada vez que vendem armas a um regime ditatorial, obrigam o ditador, para além de as ter de pagar, a disponibilizar-lhes umas amostras de sangue ou de sémen.
Parece que estou a ver o diálogo no acto da venda:
Vendedor - "Muito bem, aqui tem as suas armazitas de destruição maciça, tem o dinheiro consigo?"
Saddam - "Sim, está aqui tudo dentro da mala."
Vendedor - "Muito bem, tenho aqui um recipiente e algumas revistas porno. Queira fazer o obséquio de encher o recipiente com o seu sémem, Sr. Hussein."
(2 minutos e 11 segundos depois)
Saddam - "POR ALÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!!!!!!!!"
Vendedor - "Muito obrigado Sr. Hussein, espero que fique satisfeito com a compra. Vai-me desculpar, mas compreende que não lhe aperte a mão."

Os bufos

Segundo a comunicação social, foi um elemento de "uma família próxima" de Saddam Hussein que deu as informações que levaram à captura do antigo ditador iraquiano. Por detrás de uma boa notícia há sempre um bom bufo. Sempre que está difícil obter informações sobre quem quer que seja aparece sempre "um familiar próximo", "um amigo do casal", "um elemento do circulo de amigos", "a avó" ou "um vizinho" da pessoa em questão que vem dar com a boca no trombone e arruinar os seus planos. Mais vale não ter amigos, familiares ou vizinhos. Confio em vocês, meus caros amigos, para não porém a nú os podres do meu passado quando for uma personalidade marcante do panorama mundial. Recompensas vos aguardam.

Liberdade?!! A que preço?

Morreu Keiko!
Para os mais distraídos, Keiko era o verdadeiro nome da Orca que protagonizou o filme Free Willy.
Nascido ao largo da costa da Islândia, Keiko foi capturado em 1979 com cerca de dois anos de idade, tendo ficado num aquário da Islândia. Em 1982 Keiko foi comprado pelo Ontario Marineland, no Canadá, para ser mais uma vez vendido, ao Reino Ventura, um parque de diversões, no México. É neste último parque, com fracas condições de bem-estar animal, que as filmagens do filme Free Willy, da Warner Bros. Studios, têm lugar a partir de 1992. O sucesso deste filme chamou à atenção para as más condições em que vivia Keiko, no seu parque do México. Criou-se a Keiko/Free Willy Foundation, através da qual se recolheram milhões de dólares (tendo 4 milhões de dólares sido doados pela própria Warner Bros.). Keiko era assim mudado para as suas novas instalações de 7.3 milhões de dólares no Oregon Coast Aquarium, em 1995.

É nesta altura que se inicia uma nova recolha de fundos, que visa a reintrodução de Keiko, no meio selvagem, após 17 anos sob cuidados humanos. Quando a ficção se torna realidade...

Esta medida gera uma grande controvérsia, colocando em campos opostos especialistas de mamíferos marinhos, que advogavam que reintroduzir Keiko seria condená-lo à morte; e activistas dos direitos dos animais, que consideravam inaceitável que este animal permanecesse sob cuidados humanos.

Alguns anos e milhões de dólares depois, e após um período de adaptação, Keiko é reintroduzido na Islândia (de onde originalmente teria vindo), em 2000. Em 2002 Keiko realiza uma migração de cerca de 1400 km até às águas da Noruega, onde rapidamente se torna a atracção local, procurando, em todas as ocasiões, o contacto humano e nunca tendo sido capaz de se alimentar sozinho, contando para isso com os cerca de 50 kg de peixe diários, fornecidos pela equipa de apoio. Muitas foram as tentativas para que Keiko se juntasse aos grupos de Orcas locais, mas sem qualquer sucesso.

Keiko viria a morrer a 12 de Dezembro de 2003, em resultado de uma pneumonia. Após 20 anos sob cuidados humanos e nunca tendo desejado afastar-se das pessoas, foi forçado a uma liberdade, unicamente devido à vontade de alguns indivíduos se dedicarem a causas populistas.

Milhões de dólares foram gastos numa reintrodução de um animal que se adivinhava um fracasso, com óbvio prejuízo para o animal. Milhões de dólares que poderiam ser utilizados em acções de educação ambiental e preservação de animais que vivem no selvagem e que, verdadeiramente, necessitam de ser salvos...

domingo, dezembro 14, 2003

Ás de espadas iraquiano capturado

"Ladies and Gentlemen... We got him!"

E foi assim, com grande jubilo, que a administração Bush anunciou, em conferência de imprensa, a captura do Ás de Espadas do baralho de cartas iraquiano - Sadam Hussein - a uma multidão de jornalistas americanos histéricos!

Por se encontrar bem disfarçado, só após testes de ADN foi possível concluir que se tratava, de facto, de Sadam Hussein!


Sadam Hussein, na altura da captura

Ho ho ho ho

"Ladies and gentleman, we got him!"

Apanharam quem? O Pai Natal?

sábado, dezembro 13, 2003

Simão um (penteado de) génio, duas visões!





P.S.: Quem quiser mostrar a sua visão da obra prima, que é o penteado do pigmeu, dirija-se aqui. O Período a cumprir serviço público.

Escorrido por Loretta e Oliveira e Casca.

sexta-feira, dezembro 12, 2003

Selecção natural, onde estás? - Parte II

Já repararam que a nossa espécie (Homo sapiens sapiens) está, cada vez mais, a definhar? A responsabilidade é, unicamente, das mulheres!!!
Como?? - Perguntarão muitos leitores e ainda mais leitoras. Pois eu digo-vos como. Se olharmos para as restantes espécies do reino animal, apenas os animais mais fortes e capazes de suplantar as dificuldades da natureza, serão premiados com a possibilidade de passar os seus genes a uma nova geração. Sendo que as fêmeas, de entre os sobreviventes, escolhem os mais fortes e capazes para com eles se reproduzirem. A este processo todo, que começa à nascença, se chama Selecção Natural - The survivor of the fittest!

Ora as fêmeas (nota do redactor: este termo não é aqui utilizado como depreciativo) da nossa espécie boicotam este processo desde o primeiro momento. Desde que nascemos que somos sobreprotegidos (tal termo acredito que não exista, pelo que deverá ser encarado como um neologismo) pelas nossas mães. À mínima coisa vamos parar ao médico; não nos deixam beber cerveja com os colegas aos 5 anos; e aos 7 ainda não temos a primeira mota. Mas mais grave do que isso são as nossas parceiras. Neste momento não existe pobre coitado nenhum que não consiga uma parceira para se reproduzir. Por muito miserável que seja e passível de ser o alvo principal da Selecção Natural, todo o homem (que queira, pelo que naturalmente que Herman José é um bom exemplo de quem não quer) consegue uma mulher para, se desejar, se reproduzir.

Pululam os exemplos: Michael Jackson; José Castelo Branco (ainda não tem filhos mas a mulher está lá); D. Duarte Pio (ainda estou para perceber como é que aquilo aconteceu).

Em suma, mulheres deste mundo, comecem a ser mais selectivas. Salvem a nossa espécie (assim como a conhecemos) da extinção!!!

Selecção natural, onde estás?

Se pensarmos que o cão descende do lobo, o que dizer de todos os RP (ratos a pilhas - i.e. pequineses, pinchers e afins) e alcatifs (e.g. caniches) deste mundo?
O Homem anda, desde há muito, a viabilizar verdadeiros abortos da natureza. Um pequinês, caso nascesse no selvagem, seria decerto uma má formação congénita ou um nado morto.
Onde vai parar este mundo?...

Ditado

Hoje demorei hora e meia a chegar ao trabalho! Apanhei fila á porta de casa! De repente, em plena Ponte 25 de Abril o trânsito começa a fluir inexplicavelmente bem! Nem acidentes nem nada! Ao comentar isso alguém respondeu que devia ter sido por cauda no nevoeiro que se fazia sentir! Faz sentido! Já dizia meu avô "Mais vale uma chuva miudinha que um grosso no boeiro"!

Mitos

Há momentos na vida de uma pessoa que deixam marcas profundas e condicionam a maneira de ver as coisas e as reacções ao longo do tempo. Lembro-me perfeitamente de quando percebi que a pila não era só para mijar. Foi mais ao menos pela mesma altura em que descobri que o pipi também não era só para mijar. A partir daí a pila passou a chamar-se caralho e o pipi cona, entre outras coisas. Depois foi só juntar um mais um! Ou dois mais dois! Ou por aí fora! Frases como “lambia-te essa cona toda, olé olé” ou “chupa-me o caralho” passaram a fezer sentido. Mas faltava o cú! Numa primeira fase acreditava que este orifício tinha apenas fins meramente decorativos passando mais tarde a acreditar piamente que a única função deste boeiro seria recreativo, uma espécie de discoteca muito selecta onde apenas os mais bem vestidos tinham o direito de admissão. Mas o meu mundo desmoronou-se no dia em que descobri que o cú das raparigas também servia para cagar! Tinha eu 10 anos! Até hoje....

O casal do momento


As notícias vindas a público na imprensa cor de rosa acerca do casal sensação do momento deixaram Carlos Cruz á beira de uma profunda depressão. Indagado por O Período, o apresentador afirmou que não aprova o relacionamento entre a sua filha Marta Cruz e o futebolista benfiquista Roger.
"Estou profundamente desiludido com a atitude da minha filha Marta. Enquanto ela estiver envolvida com esse indivíduo, não quero mais visitas dela."
Estas declarações deixaram os redactores deste blog extremamente desapontados. Somos um blog familiar e moralista, como decerto já depreenderam. Deus, Pátria e Família é o nosso lema.
Numa tentativa de reparar o relacionamento e os laços familiares da família Cruz, pensamos na solução que certamente iria agradar a gregos e troianos. Sem procurar ferir susceptibilidades, andamos á procura do futuro namorado de Marta Cruz. Esse candidato, teria de reunir uma série de condições para agradar, quer a Carlos Cruz quer á sua filha Marta, que tem especial apetência por desportistas.
Após uma árdua procura por locais que incluíram o estádio da luz e um jardim escola, eis o resultado:

quinta-feira, dezembro 11, 2003

A melena do craque

Ainda sobre o cabelo do Simão; como aquilo foi desfrizado é possível ver quando é que o pequeno rato vai tomar banho pela próxima vez, o que é uma informação, pensamos nós aqui n'O Período que, de bastante valor. Pelo menos no meu tempo de jovem rebelde e irrequieto de cabelo comprido essas desfrizadelas só duravam até à próxima lavagem. Não que eu alguma vez tenha realizado alguma.

O Grande Ditador

Devo avisá-los, caros leitores, que quando for Rei de Portugal (e os meus colegas redactores sabem bem que estou muito próximo de o conseguir, assim assassine umas quantas centenas de pessoas, que se encontram à minha frente na linha da sucessão) mandarei os meus esbirros proceder a amigdalectomias (para os mais distraídos, trata-se do procedimento cirúrgico, através do qual as amígdalas são, literalmente, arrancadas) a todos os meus inimigos, ou simplesmente às pessoas com que não simpatize, e no Inverno!

AH AH AH! A vingança é um prato que se come frio (tal como as sopas, leite, gelados e toda a porcaria de comida que sou obrigado a ingerir neste período)!

O facto de Portugal ser uma república e dos portugueses não estarem muito inclinados para a monarquia, é um pequeno contratempo, quase negligenciável.

Notícia desportiva do dia

Não, não foi o Mourinho que veio para os jornais repetir que era o melhor treinador do mundo e arredores. Nem o Dias da Cunha que veio expressar o seu descontentamento com as recentes arbitragens dos jogos do Sporting. E também não foi a selecção nacional de sub 21 que arrebentou com outro balneário. O facto desportivo do dia, foi (rufam os tambores) O NOVO PENTEADO DO SIMÃO!

O mais espantoso, nem é um jornal desportivo dedicar uma primeira página à mudança de penteado de um jogador de futebol, mas sim o facto do pequeno pigmeu ter conseguido ficar com um ar ainda mais de rabeta, do que o que já tinha antes do novo penteado. Incrível no mínimo.

Faltou-me um bocadinho assim....

Há bocado, estava eu na minha labuta diária, quando vinda do nada, me surgiu uma vontade enorme de mijar. Dirigi-me aos sanitários mais próximos, mas bati com o nariz na porta, pois estavam "estragados". Andei mais 400 metros, até outra casa de banho, e quando já ia todo lampeiro para me aliviar, com o fecho das calças parcialmente aberto, reparo que está uma senhora da limpeza a lavar a casa de banho. "Agorrrra nu pôde usar, limpeza, limpeza", disse-me a simpática senhora, que pelo sotaque não consegui perceber a sua nacionalidade, mas pelo riso depreendi que gostou muito dos meus boxers com os pintainhos amarelos. Dirigi-me então à casa de banho da Biblioteca, por esta altura já estava a andar todo contorcido com as pontadas que sentia na bexiga. Cheguei mesmo nas últimas ao urinol, mas enquanto me preparava para expelir os 5 litros de urina acumulados na minha bexiga, reparo em algo estranho. Não conseguia alcançar o urinol com o dito-cujo, tive de mijar em bicos de pés. Faço aqui um pequeno parêntesis, para dizer que não sou propriamente baixo, acho que 1m e 80 (ok, estava a arredondar, 1m e 78 na realidade), já me devia dar o privilégio de poder mijar em urinóis, completamente descansado.
Resultado, como não estou habituado a urinar em bicos de pés, pinguei um pouco os ténis. Ainda tentei molhá-los, convenientemente, com água para disfarçar. Mas, como decerto bem sabem, as pingas de mijo deixam nódoa e as de água não!
Conclusão, ainda bem que vou este fim de semana visitar os meus Pais. Pensando nisso, acho que vou acrescentar um pouco de lama aos respingos de mijo, para ajudar a convencer a minha Mãe a lavar-me os ténis.

terça-feira, dezembro 09, 2003

Ausências corporais

Dizem que quando uma perna é amputada, as pessoas que foram submetidas a tal procedimento sentem a chamada dor fantasma nesse membro, mesmo muito tempo após a amputação.
A minha dúvida é se as dores que sinto serão as dores fantasma nas amígdalas, que já não tenho.
O que me leva a uma segunda questão, não sabendo eu onde raio ficavam ao certo as amígdalas (sabendo apenas que ficavam no vasto universo que é a garganta), como é que posso estar a ter uma dor psicossomática, numa parte de mim que não sei onde ficava?

Águas passadas

"Costuma dizer-se que quem bebe água do rio nilo volta lá um dia. Eu bebi essa água e acredito que hei-de regressar ao Egipto."
Toni in A Bola

Chama-lhe água, chama-lhe...

segunda-feira, dezembro 08, 2003

E fez-se luz

Não há como transmitir a sensação orgásmica que tive quando, de repente e enquanto escrevia o post anterior, a luz voltou a brilhar nesta casa!

Como uma nota negativa fica o facto de a TV-Cabo estar em baixo.

Demissões nos Açores

Um dos altos responsáveis do PS Açores demitiu-se hoje, na sequência de notícias resultantes da investigação levada a cabo por jornalistas do Expresso e da SIC e avançadas por estes dois órgãos de comunicação social.

Entre muitos elementos de topo da sociedade Açoreana, a notícia refere um alto dirigente Socialista, outro Social Democrata, um magistrado do ministério público e ainda um membro do clero.

Ricardo Rodrigues, do PS Açores, considerou que não deveria continuar a desempenhar as funções que assumia no Governo Regional dos Açores. A pergunta que fica é: para quando a demissão do dirigente do PSD? Ou será que os Sociais Democratas não se regem pelos mesmos princípios de ética? E o senhor Bispo vai continuar a fazer de conta que não sabe quem é o padre a que se referem as acusações?

Para completar um quadro surrealista, poderíamos ver este magistrado dos Açores a julgar o processo da Casa Pia.

À luz das velas

Pelas 13h00 de hoje fiquei sem luz.
- Foi o quadro - pensei. Pois não podia estar mais enganado, tinha sim dado início a um calvário que ainda não terminou.
Devido a um problema qualquer numa (cito) subestação de Miraflores (fim de citação), toda a rua, onde se encontra o prédio onde habita minha tia e onde eu me encontro em lenta recuperação pós-operatória, ficou sem electricidade.

Pois se toda essa aventura dava direito a um post, não foi isso que me trouxe até vós. Mas sim o que faz uma pessoa do Século XXI quando, subitamente, se vê sem electricidade em casa e obrigado a permanecer na mesma. Ora, tendo sido posta de parte a tarde cinéfila ou sequer televisiva e sendo eu um leitor algo compulsivo, imediatamente me refugiei no livro que neste momento me encontro a ler. Pois tal solução verificou-se eficaz até às 17:30, aproximadamente, uma vez que, rapidamente, a luz (natural) se tornou insuficiente. E agora? O que fazer?
A alternativa que se afigurou foi começar a conversar com os presentes... à luz das velas. Depressing!

Esgotado o assunto ligámos o rádio a pilhas e ficámos, três pessoas, à luz das velas, sem qualquer assunto (tendo em conta que não se tratavam propriamente de pessoas que não se viam há anos) a ouvir um rádio a pilhas.

Confesso que dá um certo ar de passado, no interior de Portugal!

O futuro próximo não se avizinha risonho, dado que da EDP dizem que a avaria é complicada e que a sua resolução se avizinha demorada.

Grande verdade

Hoje recordei-me de uma conversa que tive, há bastantes anos atrás, com um grande amigo meu. O cenário era o seguinte, estávamos os dois na praia e deparamos-nos com uma ex-colega da escola secundária. Após os cumprimentos da praxe e uma conversa entediante, que demorou no máximo 1 minuto e 16 segundos, fugimos para um café que ficava, relativamente, próximo. Quando ela já tava longe o suficiente, virei-me para ele e disse-lhe: "Aquela Ana é feia mas tem um belo par de mamas!" Ao que ele me respondeu peremptório: "É como ter uma bolacha de chocolate num monte de merda. O que fazias? Comias a bolacha?"
Ainda hoje continuo sem argumentos perante tal lógica.

Para ti Teresa Guilherme (Grand Finale)

Venero as tuas rugas e o teu peito
idolatro a tua voz cristalina e fatal
se te apanhasse a jeito
recheava-te como um peru de natal!

Para ti Teresa Guilherme (III)

O teu cabelo parece seda
o teu olhar é doce como mel
tens ar de quem gosta de levar na pêda
ai que me venho no papel.

(já acaba a seguir...)

Para ti Teresa Guilherme (II)

Quando vejo a tua linda cremalheira
sinto pontadas no meu coração
tens um pernão que parece uma alheira
tenho de controlar este meu tesão.

(continua...)

Para ti Teresa Guilherme

Teresinha dás-me uma grande tusa
especialmente quando trazes um grande decote
adoro a forma como teu mamaçal me usa
vou ali bater uma segóvia para dentro de um pote.

(continua...)

Luto

Em nome de todos os redactores, declaro que hoje, dia 8 de Dezembro de 2003, é dia de Luto no Período. Motivo? A saída, terrivelmente injusta, do melhor cantor da Operação Triunfo.


ps: este pano preto teria sido mais ajustado no dia da saída do Dino, mas enfim...

Um momento bonito

Foi com lágrimas nos olhos que acabei de ver os melhores momentos de Ludgero.
Aquele olhar sedutor e terno... Aquele seu ser... excêntrico! A sua bonita família, com sua mãe ainda mais bonita...
Ludgero chorou... Volta amigo, irmão! Amamos-te!

Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

Ludgero, rua contigo!!! Baza!!!
Força aí açoreanos, por muito pedófilos que sejam, expulsaram esta criatura estranha!!!

Brave Sir Robin - O regresso de um herói under cover

Ainda em convalescença da tortura a que fui submetido pelos esbirros do Sistema Nacional de Saúde, corri para o meu computador para avisar os meus compatriotas leitores da ameaça que paira sobre o nosso Portugal. Mesmo depois de cortado, picado e drogado, não me conseguiram calar.

É sabido que os espanhóis têm aquela vontade secular de anexar Portugal a Espanha. Existindo mesmo alguns populares que, em frente a câmaras da televisão portuguesa, afirmam que Portugal será espanhol um dia. "Onde há fumo há fogo", diz o sábio ditado popular e, de facto, por detrás de toda esta arrogância castelhana, avança uma silenciosa invasão.

Todos nós sabemos que cada vez mais recorremos a médicos espanhóis, para colmatar a falta de nacionais para garantir o funcionamento de Hospitais e Centros de Saúde. O que não sabíamos é que são às centenas. E mais, não se tratam apenas de médicos, mas também de enfermeiros.

O Hospital Amadora Sintra, pulula de vida espanhola. Fui conduzido ao quarto onde ficaria por um espanhol; fiquei uma hora à espera de ser operado, junto ao bloco operatório, a ouvir dois médicos (macho e fêmea, uma vez que a estratégia é que se comecem a reproduzir em Portugal) a falar espanhol; acordei no pós-operatório com um espanhol debruçado sobre mim (decerto preparava-se para tentar matar-me) e, finalmente a tortura das torturas, fui conduzido ao meu quarto por um enfermeiro espanhol que ficou responsável pela minha reabilitação, tendo dado por mim a falar espanhol com ele, ainda drogado pela anestesia.

Não se deixem enganar, os Hospitais e Centros de Saúde deste nosso Portugal são agora a linha da frente desta guerra silenciosa. E os espanhóis avançam impunes, com a conivência do nosso governo.

domingo, dezembro 07, 2003

Hmmmmmmmmmmmmmm

"Portugueses são os mais desconfiados da União Europeia". Sabem o que vos digo? Não confio em Inquéritos Europeus.

sábado, dezembro 06, 2003

Ufa!

"Denúncias de pedofilia atingem várias personalidades dos Açores", ao que tudo indica Bosco Mota Amaral, apesar do seu ar de sodomizador de criancinhas, não está na lista de suspeitos. Apenas existe uma ténue referência a um "destacado ex-dirigente do PSD", que decerto não é Bosco.
Hmmmmmm, não é, pois não?

Decisões, decisões...

Durante esta época festiva existe sempre uma ânsia natural na procura do presente ideal de Natal. Quer seja na procura de uma lembrança para os meus pais, avós, primos ou amigos, tento sempre ser o mais original possível todos os anos.
Ora este ano já estou á procura atempadamente de um presente para o meu melhor amigo. Sendo ele uma pessoa religiosa mas que gosta de metal deparei-me com duas possíveis ofertas que certamente não iriam ferir susceptibilidades e lhe iriam agradar com certeza. Eis as duas possibilidades com respectivas características e criticas musicais.


Tempo de Cura

Um álbum com 11 canções proféticas que irão impactar todos aqueles que têm buscado um novo tempo em Deus.
Um trabalho repleto de Palavras de ânimo e ministrações aos verdadeiros campeões que dizem sim para Deus, e que decidem pela cura...
Além de belas canções, Tempo de Cura traz uma faixa interativa com clipe, fotos, cifras, e vídeos, basta apenas acessar no computador e conferir o Tempo de Cura.
"Esse é um Tempo de Cura, tempo de sarar as feridas da alma"
"Esse é o tempo de Deus para as nossas vidas"*

* In Elnet shop – o shopping online do cristão


Holocausto Canibal - Libido Dispareunia

Após "Gonorreia Visceral" e "Sublime Massacre Corpóreo", o terceiro trabalho dos Holocausto Canibal "Libido Dispareunia" chega-nos em plena época natalícia. Esta banda confirma a sua pujança na fusão death/gore/grind metal graças a temas – sempre em português – como "Fornicada pelo Bisturi", "Violada pela Moto-serra", "Canzana Blenorrágica" ou "Sádica Flagelação Hiperbólica", temas esses que certamente reconfortarão o seu coração nesta época festiva tão especial.*

* In revista Y do Público

Perante este cenário, estou num grande dilema. Qual será o presente mais original e apropriado? Aceito opiniões e outras sugestões.

sexta-feira, dezembro 05, 2003

Bamos lá cambada...

Acabei de assistir ao sorteio dos grupos da fase de qualificação para o mundial da Alemanha em 2006. Mais uma vez os habituais fatalismos portugueses vieram ao de cima.
Existe sempre algo para desculpar o nosso triste "fado" nas performances desportivas. "O grupo era muito forte", "Foi uma artimanha da Fifa para nos afastar do evento desportivo", "o arbitro foi tendencioso", "Estes novos balneários construí­dos na Alemanha são virtualmente indestrutíveis" etc etc...
Só que desta vez tivemos sorte. Calhamos num grupo verdadeiramente fraco. Rússia, Letónia, Estónia, Eslováquia, Luxemburgo e Liechenstein são os nossos adversários na corrida ao Mundial.
Qualquer pessoa que entende o mí­nimo de futebol, consegue perceber que fomos "bafejados" pela sorte.
Mas segundo o "paineleiro" da sporttv, infelizmente este grupo é mais difí­cil do que as pessoas julgam.
Na habitual ladainha para desculpar possí­veis fracassos eis a opinião avalizada de Joaquim Rita:
"Este grupo encerra uma série de perigos para Portugal. Senão vejamos:
- Portugal tem de fazer viagens constantes e enfrentar o terrí­vel "General Inverno" nas deslocações à Rússia, Estónia e Letónia (Coitados, não gostam de fazer turismo em países frios; mas fica a menção honrosa pela tirada do General Inverno)
- a selecção do Luxemburgo não é tão fraca como no passado (em vez de levar 6 leva 4, ohh que drama)
- a selecção da Letónia é forte, tem jogadores que jogam na Bélgica (TREMO perante o poderio dos clubes belgas)
- a selecção da Estónia já nos conhece de várias fases de qualificação (uma aposta que vão trancar os balneários á chave, lá se foi o efeito surpresa)
- a Eslováquia é uma equipa complicada quando joga num esquema ultra-defensivo (bravo Joaquim Rita, brilhante análise tecnico-tactica)
- o Liechenstein é uma equipa chata, composta por jogadores raçudos (sim principalmente o carteiro que joga a central , o guarda-redes que é padeiro e o avançado que é jardineiro. Que temí­vel escola de futebol esta do Liechenstein)"

Palavras para quê? Estamos claramente no grupo mais "difícil" da fase de qualificação.
Sorte teve a Holanda que calhou num grupo "fraco" composto por, República Checa, Roménia, Finlândia, Macedónia, Arménia e Andorra.
Resta nos arrastar penosamente pela fase de qualificação e esperar que os "favoritos" Luxemburgo, Liechenstein e Estónia percam alguns pontitos.

Kenny G. spot

Não gosto do Natal! O Natal representa tudo menos aquilo que devia representar! Não considero milhares de pessoas a roçarem-se em elevadores e lojas ao som das belíssimas músicas de Natal que emanam do fagote do Kenny G. digno do Natal. Mais parece uma cena de um filme porno rasca. Sim, porque qualquer parolo que se preze manda fodas ao som de Kenny G. Acho que estimula o mítico ponto G, daí o nome do artista. Ai se eu tocasse o fagote daquela maneira... mas só sei tocar gaita de beiços!

Livros da merda

Hoje em dia a coisa mais simples do mundo é publicar uma merda de um livro. Qualquer palhaço esgatafunha meia dúzia de merdas sem sentido com muitas caralhadas e fodas á mistura de preferência e é ver as arrogantes Margaridas Rebelos Pintos a gabarem-se nos media dos milhares de mongos que compraram os livros dela. Pois bem, eu também tenciono seguir as pisadas do escritores da merda. Tenciono publicar um livro que relata as minhas experiências culinárias, uma espécie de calendário gastronómico que será ilustrado por fotografias de papel higiénico usado para limpar o cú após ter digerido e cagado as refeições que sugiro. As fotos serão acompanhadas por uma breve descrição dos tons cromáticos da merda de modo a fazer a sua correspondência com os ingredientes descritos na receita bem como o tempo desde a sua ingestão até á sua defecação. Assim, os leitores poderão não só saber qual os aspecto daquilo que vão cagar mas também fazer uma estimativa do tempo que leva até cagar. Se houver algum editor entre os leitores de O Período interessado na ideia agradecia que me contactassem através do Contacto Menstrual. Gracias.

Conversa de corredor

Apanhei a seguinte conversa no corredor:
- ... e era assim que as minhas filhas se vestiam quando andavam naquela escola!
Dada a minha parcial surdez causada pela idade e acumulação de cera nos ouvidos, perguntei:
- Quem?? As virgens??
- Não, não eram virgens! Eram as minhas filhas!
Esqueci-me de perguntar qual era a escola... para referências futuras!

Conclusão

Após à minha ida ao dentista, ando constantemente com dor de dentes. Tenho de começar a escolher os meus médicos pela sua competência e não pelo tamanho das suas mamas.

Pesadelo sueco

Ontem decidi ir a uma discoteca sueca, just in case..... não fossem depois dizer que eu era um careto e que tinha vindo à suécia e não tinha ido a uma discoteca. Qual não é o meu espanto quando vejo que estava de certeza a ter um pesadelo, no alto do meu minúsculo beliche (um pato sofre...). Parecia Quarteira, montes de Dinos, brothers e para juntar à festa turcos, turcas, paquistaneses, enfim, uma corja como nunca vira antes na minha vida. Eu, que nem sou racista nem tenho nada contra estas etnias, só não os queria lá. Pior que isto tudo é que durante as 3 horas e meia que estive na disco só passou rap do mais rasco que me é possível imaginar. Pensei "foda-se isto é um pesadelo. Tou a sonhar, nem uma loura, caralho!". Felizmente, no meio do pesadelo lá apareceram umas loiras para compor a coisa (sem soutien). A minha sorte antes de acordar foi que bebi cerveja que dava para encher um barril de 50 litros e pronto lá se foi o pesadelo.

Finalmente.....

Hoje, finalmente vi o Sol. Já quase que me esquecia de como ele é.

R!R

Tem ínico hoje o Festival Internacional de Humor - R!R. Até 14 de Dezembro irão passar por diversos espaços lisboetas cerca de 45 apresentações humorísticas. O objectivo, segundo a organização, é "fazer de Lisboa, a capital da comédia da Europa. Lisboa tem todas as condições para acolher esta tarefa". Concordo que, de facto, Lisboa reúne todas as condições e mais algumas para se tornar uma anedota europeia. Mas lamento ter de ser eu a dar esta triste notícia aos elementos da organização, meus caros amigos, vocês não estão a ambicionar nada de novo. Portugal já há muito anos que é dos principais alvos de chacota mundial.

Para lá do Marão...

Primeiro foram as mães de Bragança contra as putas brasileiras, agora são os pais de Bragança contra os ciganos... ciganos! Como as mulheres não deixam os maridos ir ás putas estes descarregam a sua frustração nos desgraçados dos ciganos! "Ai eu não posso foder? Então tu não podes aprender a ler!"! As refeições em família das gentes trasmontanas devem ser dignas de se ver...

Que conveniente!

Esta semana enquanto folheava a CARAS em busca de algo para me inspirar a punheta deparei com uma "reportagem" onde pontificava o Herman José. Escusado será dizer que a punheta foi adiada por tempo indeterminado. Mas houve algo que me captou a atenção! Ao comentário da "jornalista" "que casaco bonito, Herman", este respondeu "Compreio-o em Nova Iorque... é muito giro... dá para os dois lados!". Isto é o que eu chamo um casaco feito á medida! Mas cada vez mais me convenço que o Herman só dá para um lado: o lado de lá!!

Estrelinhas nas Academias

Já alguma vez repararam na quantidade imensa de gajos e gajas tarados ingressos no corpo docente das nossas instituições de ensino? Este pensamento aterrador assolou-me o dia todo de hoje. Por exemplo... quem nunca teve um professor com queda p'ra paneleiro ou uma professora cuja xaboita fazia por demonstrar a imediata atenção de que carecia? Pois é. Pior ainda é o facto desta situação particular acentuar-se com o aumento da escolaridade. Ocupando os extremos da dita normalidade, estes docentes ou são rabetas e/ou putas e/ou mariconços e/ou por aí adiante. Caralho, foda-se... - digo eu ao interiorizar esta nova condição: ao candidatar-se para a posição, o jovem proponente à docência, terá a partir de agora um novo critério para o seriar do Universo de tutores -... Possui algum distúrbio de ordem sexual? Aprecia criancinhas? Gosta de vergas rijas, é? Constantemente a pensar em apanhar nas nalgas? Caso a resposta for afirmativa, prontamente ao candidato serão atribuídos à partida 15 valores, indo juntar-se ao grupo dos Profs. Drs. panilas, meretrizes, cabrões e afins. Isto marca a sua carreira de sucesso. É por estas e por outras que eu tou fora. A verdade é que, à excepção desta, reunia todas as condições para brilhar numa carreira académica mas assim... Puta que os pariu!!!

quinta-feira, dezembro 04, 2003

Até tu, Jorge? Até tu?

"Empresários sem perdão se esquecerem Argel"
Jorge Sampaio in DN

Até o Presidente da Républica já não se inibe de fazer comentários sobre a situação contratual de jogadores do Benfica.

É pá, mas que boa ideia!

Os EUA vão formar, e equipar, uma unidade paramilitar iraquiana composta por soldados provenientes de cinco partidos políticos iraquianos. Excelente ideia, proponho desde já alguns nomes para esta nova organização, que tal, Talibin, ou Talidan, ou ainda, que me dizem de TaliBUM.

Brave Sir Robin na Twilight Zone do Serviço Nacional de Saúde

(08:30 - casa de Brave Sir Robin)
Trriiiiim Trriiiim (naturalmente que o meu Nokia 7650 não toca assim, mas para melhor compreensão dos nossos leitores eu não tentarei reproduzir a música do Bugs Bunny, em toque polifónico)
- Estou? (forma tradicional mas pouco inteligente de atender um telefone)
- Estou a falar com o Sr. Brave Sir Robin? (isto é a pura verdade, é assim que eu sou conhecido)
- Está sim!
- O Sr. Brave Sir Robin estava na lista de espera para uma operação às amígdalas?
- Estava sim! (há mais de ano e meio, devo eu dizer)
- Era para o informar que a sua operação será amanhã. Tem que estar no Hospital Amadora Sintra pelas 09:00, será operado à tarde e terá alta no dia seguinte!
- (pausa) Está a brincar comigo, não está?
- (risinhos de funcionária pública já na menopausa) Não, não estou! (mais risinhos)
- (pausa) Mas... está mesmo a falar a sério?
- (risinhos, ainda na menopausa) Acha que eu telefonava para as pessoas às 08:30 para brincar com elas.
- (pensamento de Brave Sir Robin) - You have a point there.

Depois de algumas perguntas mais, desliguei o telefone à simpática senhora, após ter agradecido. Agradecido o quê, pensei eu depois, por me ter avisado que seria operado, com pouco mais de 24 horas de antecedência, num hospital a quase 300 km de distância?!!!

Brave Sir Robin, a common man that was living his own life, with no major worries, ignoring that he just had entered the Twilight Zone!!!

quarta-feira, dezembro 03, 2003

Se calhar, não era bem isso

O alemão, que está detido preventivamente há um ano por ter assassinado e, literalmente, comido um outro homem, afirmou em tribunal que a vítima o autorizou e incentivou a cometer o acto de canibalismo. "Sim, sim, estávamos os dois nús, quando ele se virou de costas e disse-me para o comer. E depois pronto, comi-o." Declarou o acusado.

Quem quer ser otário

Um professor de Geografia que não sabia onde ficava o estreito de Magalhães e um finalista do curso de Comunicação Social que não sabia qual era a profissão de Joseph Pulitzer, o fundador dos prémios Pulitzer. É este o resumo de mais uma edição do quem quer ser milionário.

terça-feira, dezembro 02, 2003

Have you ever heard about the meatrix?

Ide dar uma vista de olhos na meatrix.

Dúvida

Vieram a público documentos que voltam a pôr em causa, quem foi de facto o inventor do telefone. O Período, com o intuito de dissipar algumas dúvidas, resolveu entrevistar o maior expert em ligações telefónicas português, que nos declarou o seguinte: "Pá, eu já há muito tempo que digo que o inventor do telefone foi o tal alemão, o Philip Reis. Tou-me a cagar para o Graham Bell, Pá."

Ingenuidade

"ONU acredita que a Rússia vai ratificar o Protocolo de Quioto"
in Público

"ONU ainda acredita no Pai Natal"
in Período

Agradem-se!

Outro dia, na Estação da Campanhã, no Porto, deparei com o seguinte anú­ncio na porta de um quiosque:

"Por motivos pessoais
o quiosque está encerrado de tarde.
Abre de novo ás 17 horas.

A Gerência agrade-se"


E eu... olhem... segui o conselho da Sra. Gerência... cheguei a casa e agradei-me!

Almoço atribulado

Hoje o dia tem sido bastante atribulado, mas como estou atafulhado de trabalho, só tenho tempo para relatar-vos um episódio, que fez com que o meu almoço terminasse prematuramente. Dizia, durante o almoço, um excelentíssimo doutorado para outro: "ontem foi dia da restauração da independência", ao que o outro respondeu convictamente, "sim, sim, foi o dia em que atiraram a Inês de Castro da janela". Pobre coitada da Inês de Castro, já não bastava ter sido degolada, ainda foram desenterrar o seu cadáver praticamente três séculos depois, para comemorarem a restauração da independência atirando-o pela janela. Tentei conter o riso, pois tratavam-se de dois superiores hierárquicos, mas uma vez mais a táctica de morder o lábio não estava, visivelmente, a funcionar. Murmurei, entre dentes, um "até logo" e saí­ disparado porta fora.
Espero que as gargalhadas não se tenham ouvido.

Eles andem aí!!

Foi com infinita surpresa que ouvi ontem no noticiário da TVI que dezenas de monarcas saíram ás ruas em Coimbra de modo a festejar o 1.º de Dezembro. Até ontem pensava que em Portugal apenas havia um monarca, o Rei Eusébio, e duas mentes irrequietas que lhe disputam o título, D. Duarte Pio e Nuno da Câmara Pereira. Que dizer deste súbito aparecimento de monarcas, ainda por cima em Coimbra, Capital europeia da Cultura 2003, ás dezenas quiçá centenas? Estará a República em risco? Põe-te a pau, Jorginho!!

Quem é afinal Dino?

Em resposta a inúmeros pedidos, feitos em corrimentos deste pasquim, venho, finalmente, desvendar esse grande mistério (pelo menos para alguns dos nossos leitores e redactores exilados): quem é Dino??

Todos nós, nem que seja por posts anteriores, já ouvimos falar do programa, exibido pela RTP1, Operação Triunfo (agora já na sua segunda série. Pois Dino é um dos concorrentes. Este Afro-Português (membro da Associação de Afro-Portugueses Lobotomizados - AAPL), habitante de Quarteira, tem muito que se lhe diga. Para além do ar de burro-em-vias-de-extinção e de não saber falar português correctamente (é um facto que alguns dos redactores deste pasquim têm esse mesmo problema), esta criatura não sabe simplesmente cantar. Os nossos redactores poderão dizer - "mas para isso é que existe a escola da Operação Triunfo!" - pois, meus caros leitores, no entanto esta anta é incapaz de evoluir, agarrando-se, qual carraça, à escola e fazendo com que alguns melhores cantores sejam expulsos.

Felizmente essa carraça foi, finalmente, expulsa. Podemos agora apontar baterias à Carraça II - Ludgero!


Dino no seu melhor

Ajuntamento

"Portugal junta à mesa ministros da Defesa dos dois lados do Atlântico"
in Diário Digital

O pensamento inicial de Paulo Portas era juntá-los a todos na cama. Mas como bom conservador, e visto a tradição ser a realização de um jantar, lá acatou a ideia de fazer um repasto nocturno. Durante a refeição, e já bem bebido, Paulo Portas terá deixado escapar um comentário dirigido ao homólogo Italiano, "Com aquele, juntava-me à mesa, na cama, no chão, em todo lado. Ai, ai."

Onde está o Alder?

Ao ouvir hoje o relato na Antena 1 do Benfica-Rio Ave (mais uma reles exibição das papoilas saltitantes) foi com pesar que constatei que Alder Dante (esse mito da arbitragem radiofônica) já não fazia parte da pandilha de comentadores tendo sido substituído por esse ex-árbitro lagarto de seu nome Jorge Coroado.
O que é feito de Alder e da sua pronúncia carregada que tanto nos ensinou ao longo de todos estes anos? Sem dúvida que sentirei falta dos seus comentários e análises sempre correctas (mesmo quando não estavam), da maneira como interrompia os comentários dos repórteres de campo e da maneira submissa como todos se vergavam perante a sapiência arbitral de Dante.

segunda-feira, dezembro 01, 2003

Coincidências

Todos os dias me deparo com estranhas formas ou palavras que me fazem lembrar o meu país. Esta estória da memória é do caralho. Hoje estavam dois alemães do meu curso a comer bolachas maria da marca PISCA, ontem e anteontem comi massa da findus, daquela que se põe no microondas, com o nome ALFREDO PASTA. Fui jogar um bowling e um dos italianos aqui do curso é tal e qual um amigo de longa data de A duck! chamado Jaime (cobi). Foda-se pensei, o meu país não me larga. Hoje de manhã vi uma gaja nojenta e pensei "só pode ser macedónia, pois o bigode era mesmo grande, mas ela era portuguesa."

Ainda bem que o dino já bazou desse programa do canal 1 que passa ao domingo. Quem é o dino?

The final Countdown

O Dino já foi com as putas! Ludgero... you are going down!!!

AH AH AH AH!!!!



Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!